Estava andando em uma rua, caí em um buraco.

Estava andando em uma rua, vi um buraco,caí no buraco.

Estava andando em uma rua, vi um buraco, pensei que não devia mais cair no buraco, caí no buraco.

Estava andando em uma rua, vi um buraco,desviei do buraco.

Estava andando em outra rua.
 

The new flight back replica watches chronograph is outstanding, and it is replica watches sale a great way to show the replica watches uk rich experience and superb technology accumulated since its inception swiss replica watches in 1888.




13/02/2014
Medicina Integrativa | Otorrinolaringologia
Ronco e apnéia do sono.

Várias pessoas têm me perguntado a respeito de roncos devido ao incômodo que sentem por causa de seus parceiros, mas elas desconhecem o quanto um sintoma tão comum pode esconder situações clínicas de extremo risco para a saúde.

As queixas relacionadas com esse tipo de sintoma podem apresentar-se das mais variadas formas, como um barulho perturbador do(a) companheiro(a), pais preocupados com a qualidade de sono de seus filhos ou mesmo os próprios pacientes que, além do ronco, possuem uma qualidade de sono precária o suficiente a ponto de apresentarem baixo rendimento em suas atividades diárias e excesso de sonolência diurna, principalmente dirigindo, lendo ou assistindo televisão. Esse é o típico caso no qual os roncos são apenas a sonorização de uma dificuldade respiratória obstrutiva que causa conseqüências devastadoras.
E é aí que mora o perigo! Por que perigo? A palavra apnéia tem o significado de parada da respiração. Ou seja, o paciente literalmente para de respirar durante o seu sono. Só que isso ocorre durante um espaço pequeno de tempo, mas durante várias vezes durante a noite. Essa diminuição de oxigenação provoca, com o passar do tempo, diversas outras alterações no organismo, como arritmias cardíacas, hipertensão e a temível síndrome metabólica, onde os níveis de colesterol, triglicérides e a glicemia se alteram de maneira incontrolável
. Quando falamos sobre roncos e apneia do sono, estamos nos referindo a um processo de estreitamento da passagem do ar em algum ponto específico das vias aéreas superiores. A avaliação por um profissional otorrinolaringologista é importante para definir se esse estreitamento é provocado por problemas mecânicos ou funcionais. No caso das crianças, a patologia mais comum associada ao ronco e à apneia do sono é o aumento de volume das tonsilas faríngea e palatinas, conhecidas como adenóide e amígdalas. Trata-se de um processo reacional que ocorre devido à alta responsividade dos tecidos linfóides presentes na região faríngea, que acabam perdendo a sua função de proteção imunológica, sofrem reações inflamatórias e culminam em um processo obstrutivo local. Essas crianças passam a apresentar quadros de infecções de repetição das amígdalas, roncos e dificuldade respiratória durante o sono, podendo ainda evoluir com infecções repetidas dos ouvidos, perda auditiva, alteração do desenvolvimento da dentição e dos ossos da face durante o seu crescimento. Outros quadros clínicos não podem ser esquecidos, como a laringomalácia, mas o profissonal médico qualificado saberá, com certeza, definir esses diagnósticos diferenciais. Os adultos possuem um quadro mais complexo, não somente pela complexidade das múltiplas causas que podem levar a quadros de roncos e apnéia, mas também devido a complicações graves no quadro clínico dos pacientes. O profissional médico deve estar atento e preparado para intervir no momento certo e com diferentes abordagens de acordo com as etiologias e diferentes graus de gravidade de cada paciente. Uma boa história clínica e um exame físico e otorrinolaringológico são fundamentais para que se estabeleçam as primeiras idéias da atual situação de cada paciente, mas considero dois métodos diagnósticos extremamente importantes para complementar essas idéias, a nasofibroscopia e a polissonografia. A nasofibroscopia consiste na utilização de uma fibra óptica flexível que permite a observação da perviedade das vias aéreas superiores, que compreendem nariz, faringe e laringe. Dessa maneira, obstruções mecânicas poderão ser visualizadas, sejam elas causadas por alguma alteração anatômica local, como desvios de septo, excesso de tecido faríngeo ou aumento de volume da base da língua, ou por alterações funcionais, como é o caso da hipotonia da musculatura da faringe que causa um colapso da perviedade da passagem do ar inspirado durante a pressão negativa da inspiração. A polissonografia é um exame no qual o paciente é monitorado durante o seu sono. Essa monitoração vai nos mostrar, entre diversos parâmetros, a presença ou ausência de roncos e de apnéia, além da da gravidade dessa apnéia que pode ser classificada em leve, moderada e grave. De acordo com a união desses diversos parâmetros o médico estará apto a sugerir as medidas terapêuticas necessárias visando o tratamento dos roncos e da apneia, cirúrgicas ou não. Com exceção dos procedimentos cirúrgicos que possuem suas indicações de acordo com o exame otorrinolaringológico de cada paciente, podemos relatar um pouco as medidas terapêuticas mais comuns utilizadas nos diferentes graus de severidade. Quadros de roncos isolados ou que apresentam grau leve de apneia podem beneficiar-se de medidas terapêuticas que visam melhorar a tonicidade da musculatura da faringe e, cosequentemente, a manutenção de sua perviedade. Essas medidas incluem fonoterapia, acupuntura, aparelhos intra-orais de reposicionamento da língua, além de mudanças de alguns hábitos de vida como práticas regulares de atividade física e adequação de seu peso corporal. A adoção de todas essas práticas terapêuticas também é válida para os quadros moderado e grave de apnéia do sono, mas é de fundamental importância a manutenção da perviedade da via respiratória alta para que atinjam benefícios aos pacientes. Mas como existe um grau importante de alteração da função respiratória durante o sono, nenhuma dessas medidas é capaz de vencer o aparecimento de diversas morbidades que acompanham a apnéia. Para isso existe a possibilidade, mesmo que temporária, da utilização de aparelhos de pressão positiva durante o período noturno que possibilitem a adequada função respiratória. Dessa maneira, os pacientes melhoram de imediato os níveis de oxigenação ao dormir enquanto tratam outras morbidades responsáveis pela obstrução e adquirem hábitos mais saudáveis de vida. Portanto, se você ou seu companheiro roncam ou apresentam interrupções respiratórias durante a noite, procure um otorrinolaringologista, respire melhor durante o sono, durma melhor, e viva melhor.



 
by Frequência